A capital gaúcha agora faz parte da Rede Global de Cidades Amigas do Idoso. Com 18% da população formada por idosos, o maior índice do Brasil, a cidade é a primeira do país a integrar o grupo lançado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O título foi entregue esta quinta-feira (22), em cerimônia realizada na Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul). 

Estiveram presentes autoridades e representantes de residenciais geriátricos associados ao Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (SINDIHOSPA). “Poucas cidades no mundo têm esse certificado. E nós, que trabalhamos diariamente com o idoso, nos sentimos ao mesmo tempo honrados e conscientes de que temos uma grande responsabilidade a cumprir”, destacou Valdecir Piber, coordenador do Departamento de Residenciais Geriátricos da entidade. 

 
Para Sebastião Melo, prefeito em exercício, o reconhecimento é resultado de um trabalho conjunto. “A conquista não deve ser atribuída a atos isolados do governo. Aqui em Porto Alegre as políticas públicas voltadas ao idoso contam com a participação de toda a sociedade”, destacou Melo. 
Em 2006, a OMS buscou identificar características essenciais do ambiente urbano propícias a um envelhecimento ativo e saudável. Na época, uma pesquisa realizada em 33 cidades, de 22 países, solicitou a cerca de 1.500 idosos que apontassem aspectos positivos e obstáculos encontrados na cidade em que vivem. 

Oito quesitos foram considerados no levantamento: prédios públicos e espaços abertos; transporte; moradia; participação social; respeito e inclusão social; participação cívica e emprego; comunicação/informação e apoio comunitário; e serviços de saúde.

Fechar Menu