A população idosa está no grupo de risco da contaminação pelo coronavírus COVID-19, com maiores chances de complicações ou mesmo de óbito. Nesta terça-feira (17), em encontro de entidades com o governador do Estado, Eduardo Leite, o presidente do SINDIHOSPA (Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre), Henri Siegert Chazan, pediu apoio do Executivo aos residenciais geriátricos para o enfrentamento da pandemia.

“Pedimos ao Estado que forneça álcool gel e máscaras para os estabelecimentos. Essas medidas extras de proteção são essenciais, pois o avanço do coronavírus é uma grande ameaça à vida dos nossos idosos”, disse Chazan. Considerando esse cenário, a entidade estabeleceu ainda um protocolo de orientações a serem tomadas pelos residenciais, locais que abrigam dezenas de pessoas desse grupo de risco — e onde a disseminação da doença poderia ser muito grave.

O documento, formulado pelo Núcleo de Residenciais Geriátricos da entidade, busca padronizar medidas preventivas para evitar a contaminação. Entre as recomendações, estão a proibição de visitantes ou profissionais de saúde com febre e/ou sintomas respiratórios, restrição de visitas e que se evite contato íntimo.

“O momento exige a união de todos para evitar que o coronavírus se espalhe ainda mais”, destaca Henri Siegert Chazan. Ele reforça que as orientações serão afixadas em murais nos estabelecimentos, que também colocarão um banner em frente às casas, indicando que adotam ações contra o vírus.

“O setor já vinha se preparando para esse quadro. Contamos em Porto Alegre com locais seguros e com profissionais capacitados, que estão adotando todas as medidas necessárias para enfrentar a doença”, ressalta Marcos Cunha, coordenador do Núcleo. Confira abaixo as iniciativas propostas pelo Sindicato:

• Proibição de visitantes ou profissionais da saúde com temperatura acima de 37,8 graus e/ou pelo menos um sintoma respiratório (coriza, tosse, dor de garganta, dificuldade para respirar), independentemente de histórico de viagem ou contato com caso suspeito.
• Proibição de acesso de trabalhadores ou visitantes assintomáticos que retornaram de viagem para locais de transmissão, por 14 dias a contar da data de retorno da viagem.
• Informar aos administradores caso haja qualquer suspeita de infecção ou contato com casos suspeitos entre trabalhadores do residencial ou entre familiares de hóspedes, para devido bloqueio.
• Aos familiares assintomáticos sem viagem recente a locais de transmissão, solicita-se que as visitas sejam realizadas quando estritamente necessárias. Restritas a um familiar por hóspede e exclusivamente em seu ambiente, por tempo reduzido e portando o mínimo de pertences pessoais.
• Higienização obrigatória e permanente das mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou álcool gel, na entrada do residencial, antes e após o contato com o idoso e após contato com áreas próximas ao idoso.
• Etiqueta respiratória: se tossir ou espirrar, cobrir o nariz e boca com o cotovelo flexionado ou cobrir o rosto com lenço de papel. Evitar tocar os próprios olhos, nariz e boca com as mãos não higienizadas.
• Evitar contato íntimo, como beijo, abraço e aperto de mãos, bem como falar à pouca distância do hóspede.
• Respeitar a Nota Informativa do COE-RS da Secretaria Estadual da Saúde, devidamente publicizada na ILPI.

Foto: Gustavo Mansur/Governo do Estado

Fechar Menu