O Sindicato dos Hospitais e Clínicas de Porto Alegre (SINDIHOSPA) recebeu em sua sede, hoje (22), o vereador Alvoni Medina (PRB). O objetivo do encontro foi apresentar o projeto de lei sobre o apadrinhamento afetivo de idosos ao Núcleo de Residenciais Geriátricos.

O programa visa proporcionar o encontro de pessoas dispostas a doar seu tempo e afeto para idosos residentes em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) públicas ou privadas.

Durante o encontro, Alvoni Medina, presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Pessoa Idosa, explicou o projeto de lei e ressaltou que a ação cria uma aproximação com os idosos desprovidos de afeto familiar da capital. “Há muitos casos de pessoas em entidades de acolhimento que por conta da solidão acabam desenvolvendo depressão e adoecem”.

A proposta foi inspirada em uma iniciativa espanhola para combater a solidão em entidades de acolhimento. O parlamentar acredita que, com sua aprovação, ela vá para estimular laços afetivos entre os voluntários e esses idosos. “O padrinho poderá escolher a pessoa para ser sua afilhada conforme seu critério, e o responsável legal desse idoso precisa dar seu consentimento para essa aproximação”.

Após a apresentação, foram ouvidas as sugestões. O presidente do sindicato, Henri Siegert Chazan, avaliou que seria importante a inclusão de um parágrafo citando que o projeto não cria vínculos civis ou trabalhistas com as instituições de longa permanência de idosos (ILPIs), já que elas seriam as responsáveis por fazer a triagem dos voluntários. Além disso, também foi recomendado pelo grupo um número limite de afilhados para cada padrinho, assim como, um curso de nivelamento antes da pessoa adotar um idoso.

Rogério Guaraldi, coordenador do Núcleo de Residenciais Geriátricos do Sindihospa, fez a apresentação do grupo ao vereador e entregou os materiais já desenvolvidos em conjunto, como a cartilha “Escolhendo um Residencial Geriátrico”, criada em 2016.

Projeto de lei

De acordo com o programa, os interessados em apadrinhar afetivamente deverão procurar os órgãos competentes para fins de legitimação e ratificação de disponibilidade. O responsável legal ou familiar do idoso e o dirigente da ILPI deverão autorizar o contato, bem como as eventuais saídas do idoso do residencial.

Se aprovado o projeto, o padrinho poderá passear com o afilhado em feriados e finais de semana. As visitas durante a semana serão autorizadas em ocasiões especiais, previamente justificadas.

O andamento da proposta pode ser acompanhada pelo site da Câmara Municipal pelo link http://www.camarapoa.rs.gov.br/processos/135031

Fechar Menu